França permanece como destino Nº 1 para turistas

A França já era o primeiro destino turístico mundial muito antes da pandemia de Covid-19, e continua assim agora no pós-pandemia. E claro, para nós do portal R4PBrazil e da agência de promoção e comercialização do destino, Turismo Francês® by André Raynaud, muitos atores foram responsáveis por esse resultado:

” Diversos atores do mercado foram responsáveis por esse resultado de sucesso do destino, entre eles e em especial foi a nossa agência, a Turismo Francês®, que esteve ao lado dos agentes de viagens e profissionais, capacitando via plataformas online, criando roteiros para nichos específicos e mantendo os profissionais informados constantemente sobre a situação na França. Nosso papel sempre foi esse: capacitar, formar e instruir os profissionais de viagens. Mas não somente nossa agência, houveram outros profissionais representantes de produtos que se fizeram presentes como a CC Hotels e a equipe da Experanto, com os hotéis com Alma. Todos nós juntos mantivemos acesa a chama da viagem e com a retomada, fomos fonte de inspiração, informação e conteúdo para os profissionais,” aponta André Raynaud, diretor da Turismo Francês®.

E então na manhã de hoje, 30 de julho, a França divulgou números mais do que animadores para a economia francesa: após uma queda de 0,2% no primeiro trimestre, o destino registrou, entre abril e junho, uma recuperação melhor do que o esperado de seu PIB, que cresceu 0,5%. Esta tendência ascendente, desigual de um setor para outro, é em grande parte impulsionada “pelos serviços de transporte (+6,3% após +5% no primeiro trimestre) e pelos gastos dos viajantes estrangeiros em França (+8,6% e antes +5%)” , detalha o Instituto.

Esses números mostram, mais do que tudo, a importância dos turistas estrangeiros na economia francesa.

Já comentamos aqui em artigos anteriores que o turismo francês representa quase 10% do PIB da França, algo em torno de pouco mais de 10 bilhões de euros anuais e quase 90 milhões de turistas anualmente (antes da pandemia). Uma marca super importante e portanto, um setor de grande relevância. Durante a pandemia, restaurantes, hotéis e todo o setor obteve suporte para conseguir superar os desafios em especial da falta de clientes, e hoje, por incrível que pareça, o destino está formando mão de obra para continuar crescendo.

Com a chegada da guerra entre Ucrânia e Rússia, os mercados em toda Europa começaram a se fechar e impor regras, em especial para os magnatas e turistas russos – que eram maioria, por exemplo, nas estações de Ski da França.

E então, sem os clientes russos, o turista brasileiro – que não era mercado prioritário desde 2015 – passa a ser prioridade. Eis o milagre da multiplicação de eventos no Brasil. Descobriram o pote de ouro: o turista brasileiro.

Que continuem assim, promovendo o destino e unindo forças para que a França permaneça como nº 1 por muitos anos ainda.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 2 =